Páginas

quinta-feira, 11 de março de 2010

PRÉ-SAL, COPA DE 2014, OLIMPÍADAS DE 2016: O FUTURO FINALMENTE CHEGOU?

“A natureza é a senhora do tempo, mas não podemos ver o relógio”. Essa frase te lembra algo? É fácil programarmos um futuro, o difícil é fazer com que o futuro seja exatamente como planejamos, no cronograma que projetamos.
                Vivemos em um país emergente, que, com novas descobertas está alcançando patamares memoráveis. Por exemplo, recentemente, o Brasil fez a descoberta de uma camada de petróleo, denominada como pré-sal, por conta da sua localização ser antes da camada de sal. Segundo o banco USB Pactual, a Petrobrás precisa investir 600 bilhões de dólares para extrair 50 milhões de barris por dia, sendo que a extração do pré-sal é de 13%, enquanto que o restante fica para os blocos de exploração de Tupi, Júpiter, e Pão de Açúcar.
                Além do investimento necessário com o pré-sal, o Brasil foi escolhido para realizar a Copa do Mundo FIFA de 2014. Até 2014, o Brasil terá que reformar os estádios das cidades-sede selecionadas. Para este fim, a estimativa feita depois do anúncio das cidades-sede – no dia 31 de Maio de 2009 – era de 2,8 bilhões, sendo que foi feito uma nova estimativa dizendo que para essa reforma será gasto 10 bilhões.
                O Brasil, além desses gastos, ainda foi selecionado para sediar as olimpíadas de 2016. Com uma vitória impecável. Desde a proclamação do Rio de Janeiro como sede das olimpíadas de 2016, Brasil já se prepara para gastar 25,6 bilhões com os requisitos de segurança, saúde, transporte, serviços de hotelaria e infra-estrutura.
                Com isso vemos como o Brasil demonstra um crescimento eminente. Elevados investimentos com o pré-sal, com a copa de 2014, com as olimpíadas de 2016. Será que o Brasil estar economicamente preparado para gastos insignementes altos? É dito que sim, pelo menos, autoridades garantem os 25,9 bilhões das olimpíadas “graças ao descobrimento do maior campo petroleiro do mundo”, uma fonte não renovável com custos de 600 bilhões de dólares para usufruir de seus recursos. “Graças ao petróleo” também é possível cobrir 10 bilhões de reais com a reforma dos estádios para 2014. Pelo menos essa é a estimativa feita até agora, outrora a estimativa era de 2,8 bilhões. Cálculos notáveis. Enfim, algo inegável é o modo com que a natureza rege o tempo, como seria bom termos o seu relógio.

Hugo Hernani

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe um Comentário

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget